terça-feira, 29 de junho de 2010

Pastores da AD são internados depois de serem atacados na Índia

Dois pastores que pertencem a uma igreja Assembleia de Deus foram atacados e espancados por um grupo de radicais hindus no último dia 23, em Bangalore, Índia.

De acordo com o Conselho Global de Cristãos Indianos (GCIC), os pastores Shiju Kuriakose (35) e Jayan (30) tinham ido para um culto de oração na casa de um irmão. Quando chegaram ao local, encontraram a porta trancada. Foram então visitar a casa de outro crente e orar por essa família.

Fontes de notícias afirmam que, após a oração, os pastores deixaram o local e foram até uma barraca de chá. Lá, um grupo de radicais hindus veio em duas motocicletas e atacou sem piedade os pastores com barras de ferro.

Os pastores sofreram ferimentos graves e foram internados em um hospital próximo, em Bangalore.


Fonte: Christian News Today e Redação CPADNews

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Hindus causam tumulto e incendeiam carros de cristãos

Nesta quarta-feira, oito carros estacionados próximos à Igreja Pentecostal Nova Graça Jesus conosco em Mathikere (Hosur, Tamil Nadu). Não se sabe muito sobre a causa do ataque. A Polícia abriu um processo contra “desconhecidos”.

Para Sajan K. George, presidente do Global Council of Indian Christians (GCIC), cinco ativistas hindus são suspeitos, pois, há algumas semanas, eles tentaram invadir uma convenção organizada pelos cristãos.

“Cinco ativistas de direita foram presos pela polícia por provocar tumultos na convenção cristã. No entanto, eles foram liberados na manhã da terça-feira. Os carros foram incendiados na mesma noite. Temos muitas razões para acreditar que eles foram os responsáveis”, afirma Sajan.

No dia 17 de junho, cerca de 12.000 protestantes se encontraram em Hosur para uma conferência de três dias organizada pela Igreja Pentecostal, em uma propriedade particular.

No dia 18 de junho, ativistas do grupo Vishva Hindu Parishad (VHP) foi contra o evento, exigindo que as autoridades cancelassem a permissão dos organizadores. Eles também convenceram os comerciantes locais a fecharem suas lojas.

Escoltados pela polícia, os cristãos transferiram a reunião para Mathikere, próximo à greja Pentecostal Nova Graça Jesus conosco, a 8 km do local original.

A polícia prendeu cinco ativistas hindus por possível envolvimento em um incêndio criminoso ocorrido durante os protestos, mas eles foram liberados no dia seguinte.


Tradução: Missão Portas Abertas

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Jovem é maltratada pelos próprios pais por se tornar cristã

Os pais muçulmanos de uma garota somali de 17 anos, que se converteu ao cristianismo, a agrediram brutalmente por ter deixado o Islã e a algemaram a uma árvore em sua casa por mais de um mês.

Nurta Mohamed Farah de Bardher, na região de Gedo, Somália, estava confinada em sua casa desde o dia 10 de maio, quando a família descobriu que ela havia se tornado cristã.

“Quando a família da jovem soube que ela havia se tornado cristã, eles a agrediram muito, mas ela permaneceu firme em sua decisão”.

Os pais a levaram para um médico, que receitou uma medicação para “doença mental”. Espantado pela determinação de sua filha em permanecer firme em sua nova fé, seu pai, Hassan Kafi Ilmi, e sua mãe, Hawo Godane Haf, decidiram que a jovem estava louca, e a forçaram a tomar o remédio, que não causou efeito nenhum a respeito de sua mudança de fé.

Tradicionalmente, muitos somalis acreditam que o Alcorão cura os doentes, especialmente os com deficiência mental; por isso, a escritura muçulmana é recitada duas vezes por semana para a jovem.

“Essa menina está muito doente e tem sido submetida a um sofrimento intenso”.

O sofrimento começou quando ela recusou a oferta de sua família de perdoá-la se ela renunciasse o cristianismo. O confinamento teve início depois que a medicação e as punições falharam.

A pequena comunidade cristã na região de Gedo relata que a menina ficava algemada em uma árvore durante o dia, e era colocada em um pequeno quarto escuro durante a noite.

“A comunidade pode fazer muito pouco a respeito das condições da jovem, que está muito ruim, mas já aconselhamos o líder de nossa comunidade a acompanhá-la, mas sem se envolver, para a segurança da jovem. Precisamos de oração e ajuda humanitária, pela liberdade de religião do povo somali.”


Tradução: Missão Portas Abertas



Fonte: Compass Direct

Cantor Fábio Jr. terminou seu sexto casamento porque sua esposa teria se tornado evangélica

A conversão de Mari Alexandre à igreja evangélica teria sido o motivo do fim do casamento entre a modelo e o cantor Fábio Jr. Um amigo da família de Mari contou a revista Quem na sexta-feira (18) que o estopim da crise teria sido quando ela decidiu se batizar na religião.

“Quando ela disse que iria se batizar, Fábio falou que o casamento iria acabar. Ela respondeu que não teria problema porque essa era a vontade de Deus”, afirmou uma fonte a QUEM. “Uma bispa passou a frequentar a casa deles e Mari estava dando muita ajuda financeira à igreja. Acredito que isso possa ter agravado a crise”, completou. De acordo com um amigo próximo à família de Mari, ela teria se convertido há cerca de seis meses e, desde então, “coloca Deus e a igreja em primeiro lugar e fala que a vida está muito mais tranquila”.

O fim do casamento foi confirmado à imprensa na quinta-feira (17), por meio de um comunicado enviado pela assessoria do cantor. Ele contou que está morando na casa dos filhos.

Mari Alexandre continua morando na mansão de Fábio em Alphaville (SP) com o filho, Záion, de 1 ano e 3 meses. A mãe da modelo se mudou de Santa Catarina para São Paulo há cerca de um mês, quando o casamento chegou ao fim. “Ela foi dar um apoio. Mari vai sair da casa em que está e se mudará para outra, também em Alphaville”, afirmou a fonte. Para comprar o novo imóvel, a modelo vendeu seu apartamento de solteira, localizado em um bairro da Zona Norte, na cidade de São Paulo.

Fábio e Mari se casaram em setembro de 2007, em uma discreta cerimônia na casa do cantor. Como o cantor já havia feito vasectomia antes da união, a modelo precisou submeter-se à fertilização in vitro para engravidar.

O casamento com Mari foi o sexto de Fábio. O cantor já havia se casado com Tereza de Paiva (de 1976 a 1979), Glória Pires (de 1979 a 1983), Cristina Karthalian (de 1986 a 1990), Guilhermina Guinle (de 1992 a 1997) e Patrícia de Sabrit (de janeiro de 2001 a junho de 2000). Além do pequeno Záion, ele é pai de Cleo Pires, Tainá Galvão, Krizia Galvão e Fiuk.

Fonte: Quem / Gospel+

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Cristãos são detidos por compartilhar sua fé com muçulmanos

Três cristãos foram presos no festival árabe internacional em Dearborn, Michigan, enquanto compartilhavam sua fé com muçulmanos. Os cristãos foram detidos pela polícia em uma conversa intensa, mas com respeito, na qual eles proclamavam sua fé em Cristo.

“Nunca pensei que veria isso na América”, diz Steven Atkins, morador de Toronto, Canadá, que estava visitando o festival e viu o incidente.

Entre os cristãos detidos estavam Nabeel Qureshi, David Woods e Paul Rezkalla. Nabeel é codiretor do ministério Atos 17.

“Quando Nabeel foi preso, ouvi pessoas aplaudindo, e alguns diziam: ‘Allahuh Akbar’”, conta Steven. Um grupo de 15 a 20 pessoas presenciou o momento da prisão.

Era uma conversa intensa, mas não era grosseira. Não houve ameaças de violência. Os Estados Unidos estão mais restritivos que o Canadá.

O festival atrai milhares de árabes-americanos todos os anos, e alguns grupos cristãos o veem como uma ótima oportunidade para pregar o evangelho.

Esse ano, a cidade de Dearborn proibiu a distribuição de material cristão nos arredores do festival.


Tradução: Missão Portas Abertas

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Pastor é agredido e arrastado em vilarejo

Um pastor foi arrastado e agredido pelas ruas do distrito de Karnataka, por causa de suas atividades cristãs realizadas na região. Esse incidente desumano aconteceu há alguns dias, no vilarejo Hukkeri, em Belgaum.

O pastor Vasant, que trabalha na área há muitos anos, foi cercado por um grupo de integrantes do Rama Sena (grupo radical hindutva), e agredido à vista de todos os moradores. Sua roupas foram retiradas e rasgadas; os homens o atacaram sem misericórdia. Então, ele foi levado para a delegacia, onde ficou detido por muitas horas. Mais tarde, outros pastores da área pagaram a fiança para o pastor Vasant.

Sabe-se que o Rama Sena tem planos de atacar outras igrejas no distrito de Belgaum. Vamos orar por proteção e segurança para os cristãos desse local.








Tradução: Missão Portas Abertas



Fonte: All India Christian Council

Assembleia de Deus está crescendo ao redor do mundo

As Assembleias de Deus nos Estados Unidos e ao redor do mundo estão em crescimento. De acordo com Sherri Doty, o estatístico para as Assembléias de Deus, o número de adeptos nos Estados Unidos aumentou quase 15 mil pessoas em 2009, totalizando 2.914.669 - um aumento de 0,5%.

Mundialmente, o número de adeptos das ADs aumentou 2,5%, um ganho de cerca de 1,6 milhão de pessoas, e atingiu um total de 63.090.251.

O Superintendente Geral das ADs nos Estado Unidos, Dr. George O. Wood, afirmou que, embora o sobressalto de 0,5% não tenha sido tão alto, ele está feliz porque em 2010, 133 novas igrejas já foram plantadas, e até o final do ano ele acredita que esse número deva chegar a 300.

Wood disse ainda que as Assembléias de Deus estão trabalhando para o plantio de pelo menos 500 novas igrejas por ano. "Plantar novas igrejas tem sido provado ser o melhor caminho para levar pessoas para Cristo. Há um entusiasmo para uma nova Igreja, as pessoas são atraídas para ela. A Church Multiplication Network trabalha duro para ajudar a tornar a plantação de novas igrejas mais fácil", disse Wood.

Em outras áreas da estatística, nas Assembleias de Deus nos EUA, foi registrado um crescimento na adesão oficial de membros de 47.928 (2,9%), chegando a 1.710.560; e um aumento na frequência nos principais cultos de 27.315 (1,5%), o que totaliza 1.827.302 pessoas.

Fonte: Assemblies of God USA e CPADNews

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Deputado evangélico defende castração 'tradicional' para pedófilos

- Se fosse a castração química, seria muito bom! A pessoa entra num hospital, com todo o aparato, todo o carinho... quem pratica pedofilia é um monstro. Ele não sabe o que é ser um humano. A castração tradicional também seria feita num hospital, onde ele iria ser castrado. A castração química seria muito bom porque ficaria com o membro normal. A outra, não, ela amputa o membro. Esses elementos deveriam pensar muito bem quando fossem praticar um ato dessa natureza.

Nivaldo, que é evangélico, declarou que sua tese tem amparo na Bíblia e citou o trecho de Deuteronômio em que prega "Olho por olho e dente por dente".

- Se um elemento matava naquela época, ele seria morto também. Pagava com a mesma moeda. No Novo Testamento, há uma mudança: se alguém está em Cristo, nova criatura é. Quando um elemento se arrepende de seus pecados, Deus perdoa. Deus não é Nivaldo Manoel. A Bíblia nos ensina a perdoar.

Em outro trecho da entrevista, Nivaldo declara ser difícil para os homens verem moças bonitas e seminuas nas ruas. Para ele, os pais deveriam orientar as moças a se vestirem adequadamente:

- As minhas filhas não foram criadas assim. Minhas filhas, até hoje, as roupas internas têm que estar completas porque o mundo é perverso. A maioria das jovens fica seminua nas ruas e até para um elemento que não quer ter um pensamento mal, ele... porque a pessoa "come até pelo olhar".

Eu tenho 65 anos e sou um homem normal, se eu vejo uma moça na rua e se eu não torcer o rosto para o outro lado, sou obrigado a ver as moças bonitas que têm seus corpos lindos... então isso é complicado demais!!!

Castração química nos Estados Unidos da América

Pelo menos seis estados já usaram a castração química, com a criação de leis, tais como Califórnia, Flórida, Geórgia, Texas, Louisiana, e Montana. A Califórnia foi o primeiro estado a utilizar a castração química como pena para criminosos sexuais. Na Califórnia, os juízes podem exigir, num primeiro julgamento, a castração química a infratores, em caso de reincidência, o tratamento é obrigatório. Em Iowa e Flórida, a castração química está disponível em todos os casos que envolvem graves crimes sexuais. Tal como na Califórnia, o tratamento é obrigatório com a reincidência.

fonte o galileo

Jovem é maltratada pelos próprios pais por se tornar cristã

Os pais muçulmanos de uma garota somali de 17 anos, que se converteu ao cristianismo, a agrediram brutalmente por ter deixado o Islã e a algemaram a uma árvore em sua casa por mais de um mês.

Nurta Mohamed Farah de Bardher, na região de Gedo, Somália, estava confinada em sua casa desde o dia 10 de maio, quando a família descobriu que ela havia se tornado cristã.

“Quando a família da jovem soube que ela havia se tornado cristã, eles a agrediram muito, mas ela permaneceu firme em sua decisão”.

Os pais a levaram para um médico, que receitou uma medicação para “doença mental”. Espantado pela determinação de sua filha em permanecer firme em sua nova fé, seu pai, Hassan Kafi Ilmi, e sua mãe, Hawo Godane Haf, decidiram que a jovem estava louca, e a forçaram a tomar o remédio, que não causou efeito nenhum a respeito de sua mudança de fé.

Tradicionalmente, muitos somalis acreditam que o Alcorão cura os doentes, especialmente os com deficiência mental; por isso, a escritura muçulmana é recitada duas vezes por semana para a jovem.

“Essa menina está muito doente e tem sido submetida a um sofrimento intenso”.

O sofrimento começou quando ela recusou a oferta de sua família de perdoá-la se ela renunciasse o cristianismo. O confinamento teve início depois que a medicação e as punições falharam.

A pequena comunidade cristã na região de Gedo relata que a menina ficava algemada em uma árvore durante o dia, e era colocada em um pequeno quarto escuro durante a noite.

“A comunidade pode fazer muito pouco a respeito das condições da jovem, que está muito ruim, mas já aconselhamos o líder de nossa comunidade a acompanhá-la, mas sem se envolver, para a segurança da jovem. Precisamos de oração e ajuda humanitária, pela liberdade de religião do povo somali.”


Tradução: Missão Portas Abertas



Fonte: Compass Direct

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Amante de padre perde todos os bens para a igreja

A 8ª Câmara Cível do TJRS manteve, por maioria de votos, a sentença que não reconheceu a união estável entre um padre católico da Diocese de Novo Hamburgo, falecido em 2007, e uma mulher com quem ele se relacionou afetivamente.

De acordo com informações do espaço Vital, o pedido para o reconhecimento da vida comum foi realizado pela mulher que sustentou ter mantido união estável com o religioso de 1977 a 2007, até sua morte. O juiz Luis Gustavo Pedroso Lacerda, da 2ª Vara de Família e Sucessões de Porto Alegre, julgou o pedido improcedente.

O falecido padre exercia o ministério religioso em uma das paróquias do Vale do Rio dos Sinos e sua namorada residia em Porto Alegre, num apartamento de propriedade dele

Relacionamento reservado?

Houve recurso sustentando que o padre teria preferido manter o relacionamento de forma reservada para que pudesse continuar na profissão de ministro da Igreja e que a convivência era conhecida de vizinhos e familiares.

Para o desembargador Claudir Fidélis Faccenda, relator, “os requisitos para o reconhecimento da união estável, de acordo com o disposto na Lei nº 9.278/96, são a dualidade de sexo, a publicidade, a continuidade do relacionamento e o intuito de constituir família”

O padre era proprietário de duas casas (Imbé e São Leopoldo), um apartamento (Porto Alegre - onde reside a mulher autora da ação), um box de estacionamento, um automóvel, tinha ações da Brasil Telecom e contas bancárias.

A mulher pode tentar recursos especial e extraordinário. Os advogados Wilson Moreira de Oliveira, Solange Maria Paranhos de Almeida e Wilson de Oliveira Moreira Junior atuaram na defesa do espólio do padre.

Fonte: TN Notícias

terça-feira, 15 de junho de 2010

Pastor e esposa são baleados

Rasha Samir tinha certeza de que seu marido, Ephraim Shehata, estava morto.

Ele estava coberto de sangue, tinha duas balas em seu corpo e estava caído com seu rosto ao chão na estrada empoeirada. Samir estava Rasha estava apoiada nele, fazendo seu melhor para protegê-lo do ataque dos criminosos que se aproximavam.

Segundos antes, Rasha podia ouvir seu marido murmurando versículos da Bíblia. No entanto, uma bala já havia atingido seu pescoço, e ele não conseguia se mover. Aterrorizada, Samir tentou desesperadamente se acalmar e deitar, esperando que os homens fossem embora.

Finalmente, o tiroteio parou e um dos homens disse: “Vamos embora. Eles estão mortos”.

Na tarde de 27 de fevereiro, o pastor Shehata e sua esposa Rasha foram vítimas de uma emboscada em uma rua deserta por um grupo de atiradores muçulmanos, no vilarejo de Teleda.

O ataque tinha o objetivo de “entristecer o coração dos cristãos” da área, Rasha disse.

Os agressores atiraram duas vezes em Shehata, uma no estômago pelas costas e outra no pescoço. Eles atiraram no braço de Rasha. Ambos sobreviveram ao ataque, mas Shehata ainda está se recuperando. Os atiradores foram presos e estão na cadeia, aguardando um julgamento, que não pode ser iniciado até que Shehata tenha se recuperado o bastante para comparecer à audiência.

Apesar de seu trauma, dos ferimentos, de mais de US$14.000 em contas hospitalares e um possível desemprego, Shehata está disposto a retirar todas as queixas contra seus agressores – e evitar o que poderia ser um julgamento vergonhoso para a nação – se o governo desistir de impedir a construção de um templo para a igreja dele.

Antes de Shehata ser baleado, um dos agressores o empurrou de sua moto e disse que o pastor deveria aprender uma lição sobre “ser um cristão”.

Por causa de seu ministério, o pastor Shehata, de 34 anos, se destacou em sua comunidade. Quando ele não trabalhava como técnico de laboratório ou fazendo aulas de direito, ele ia de porta em porta entre as casas dos cristãos para encorajá-los de todas as maneiras possíveis. Ele também líder um centro comunitário e uma clínica médica. Seu principal objetivo era o de “ajudar os cristãos a permanecerem firmes em sua fé”.

Sem levar em consideração o que aconteceu, Shehata diz que quer paz e que os direitos dos cristãos no Egito sejam respeitados. Ele afirma que, no país, os cristãos têm menos valor do que “as aves do céu”, mencionando a Bíblia.


Tradução: Missão Portas Abertas

Proposta de leitura obrigatória da Bíblia nas escolas gera debate

A Assembléia Legislativa de El Salvador recebeu, na quinta-feira, 10, proposta de tornar obrigatória a leitura da Bíblia nas escolas, motivou debate no país, impulsionado pelo coronel da Força Armada, Antonio Almendáriz, deputado evangélico do Partido de Reconciliação Nacional (PRN), de direita.

A leitura das Sagradas Escrituras nas escolas incentivaria um comportamento que seria um freio ao número de homicídios no país, considerado o mais violento do continente, e um controle das ações das ligas juvenis ou gangues.

A discussão da proposta deverá ser discutida amanhã no Legislativo. O ministro da Educação, Salvador Sánchez Cerén, já manifestou rejeição à proposta. Deputados do PCN e um da Arena pediram que a leitura da Bíblia nas escolas entre em vigor a partir de 11 de fevereiro de 2011, início de novo período letivo.

Dois advogados constitucionalistas asseguraram que a medida seria uma violação à Constituição da República. Mas não descartaram a aprovação da proposta, desde que acordada pelas partes envolvidas e mediante referendum popular.

Segundo nota no diário El Mundo, o ex-magistrado da Sala Constitucional, Mario Solano, explicou que a lei ou decreto entrria em choque com a liberdade de consciência e de religião, embora a Bíblia não manifeste inclinação a nenhuma crença em particular.

Também alegou que a proposta viola a liberdade de cátedra e contraria a educação democrática sem influências religiosas ou classistas. Ele não tem convicção de que a leitura do texto sagrado levaria crianças a uma conduta mais ética.

Fonte: ALC

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Relação entre Igreja e Estado é debate em faculdade

Desde o acordo assinado pelo governo brasileiro e o Vaticano, em novembro de 2008, a laicidade do Estado tem sido questionada no país. O Brasil é realmente um estado laico? Como igrejas e teólogos posicionam-se diante da obrigatoriedade do ensino religioso nas escolas públicas, um dos itens previstos no acordo? No dia 9 de junho, estudantes da Faculdade de Teologia da Universidade Metodista de São Paulo puderam refletir sobre essas questões com o auxílio da educadora Roseli Fischmann, professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade de São Paulo (USP) e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Metodista de SP, onde dirige o Núcleo de Educação em Direitos Humanos, da Faculdade de Humanidades e Direito. Entre outras colaborações na área governamental ela integrou a Comissão Especial do Governo do Estado de São Paulo sobre Ensino Religioso nas Escolas Públicas e a equipe de redação dos Parâmetros Curriculares Nacionais do MEC, sendo responsável pela redação do tema transversal Pluralidade Cultural.

No evento denominado “Café Teológico”, promovido pelo Centro Acadêmico João Wesley, com apoio da Faculdade de Teologia e Rede Ecumênica da Juventude, Roseli Fischmann defendeu a laicidade do Estado como garantia da liberdade de consciência, de crença e de culto. Ela explicou que essas três dimensões da liberdade são distintas, mas diretamente relacionadas. A liberdade de consciência diz respeito ao íntimo dos indivíduos. Mesmo o uso da violência ou a tortura não é capaz de cerceá-la; o indivíduo pode até ser coagido a determinadas ações, mas é impossível controlar o que se passa em seu pensamento. A liberdade de crença, também de caráter interior, “aloja-se no ninho da liberdade de consciência”. Já a liberdade de culto é a exteriorização da liberdade de crença e ocorre no espaço coletivo.

No Brasil do período imperial, exemplificou a professora, a liberdade de crença foi limitada pelo regime do padroado, que dava à Igreja Católica o status de religião oficial e única. Crentes de outras denominações só poderiam se reunir a portas fechadas, em edifícios que não tivessem a forma exterior de templo. “E ainda há países do mundo em que a liberdade de culto é tolhida”, alertou a professora.

Segundo Roseli Fischmann, a proclamação da República, em 1889, trouxe a separação entre Igreja e Estado e, a princípio, foi bem vinda pela Igreja Católica, incomodada pela interferência estatal. “Mas esse ponto sempre foi polêmico”, disse a professora. A instituição não queria perder a influência que sempre teve sobre a sociedade brasileira. Roseli destaca que durante 210 anos a Igreja Católica cuidou da escola pública, por intermédio dos jesuítas, que eram financiados pelo padroado. “É metade de nossa história! Ninguém se livra facilmente dessa herança”, afirmou.

Para a educadora, o ensino religioso ministrado em escola pública pode se tornar um perigoso espaço de luta pelo poder e uma violência contra as minorias. No caso brasileiro, pesquisas acadêmicas já detectaram vários exemplos de práticas religiosas adotadas no ambiente escolar que, aceitas pela maioria cristã, discriminam outros grupos religiosos. “Numa pesquisa que realizamos em oito cidades próximas a regiões metropolitanas, encontramos turmas de alunos aos quais se exigia a oração do Pai Nosso antes de iniciar as aulas. Vimos até uma diretora que mantinha um altar na escola”. Segundo Roseli, julgar que a maioria deva determinar os rumos de qualquer grupo social é uma distorção do princípio democrático. “A maioria elege e quem é eleito deve governar para todos e todas”, disse ela.

Governar para toda a população, no delicado campo da crença, seria a irrestrita adoção da laicidade do Estado, na opinião da educadora. Ela explica que as relações entre Igreja e Estado podem ser compreendidas em diferentes níveis. Nos estados teocráticos ocorre a fusão entre as duas instâncias de poder. O Estado existe como decorrência da religião. Tal é o caso da República do Irã, por exemplo. E nos estados em que o Estado é separado da religião, essa separação pode ocorrer com “hostilidade” -- como da antiga União Soviética, em que a religião foi banida da vida pública – ou numa relação pacífica. Países como Uruguai e Costa Rica, informa a professora, sempre prezaram por ter o Estado desvinculado da religião, respeitando a liberdade de culto de todas as crenças. No caso do Brasil, no entanto, ocorreria uma quarta forma de relacionamento, que Roseli chama de separação “atenuada”: aqui, o Estado não apenas garante a liberdade, mas reconhece que valores religiosos podem ser relevantes para a população. Esse reconhecimento está na Constituição e explica, por exemplo, a isenção fiscal que privilegia templos religiosos, a existência de capelanias militares e o próprio. acordo com a Santa Sé, aprovado no ano passado. Contudo, segundo a professora, esse acordo fere o Artigo 19 da Constituição, que proíbe ao Estado firmar qualquer tipo de acordo com religiões ou seus representantes: “É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios: I - estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los, embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com eles ou seus representantes relações de dependência ou aliança, ressalvada, na forma da lei, a colaboração de interesse público”. Para Roseli Fischmann, não vale o argumento de que a Santa Sé seria comparável aos demais estados: “Ninguém tem cidadania ou passaporte vaticanos”, resumiu.

Tolerância religiosa e espiritualidade

Após a palestra, a professora Roseli Fischmann recebeu perguntas da platéia. Dentre outros temas, ela foi questionada sobre a validade do ensino religioso público como promotor de diálogo e tolerância entre crentes de diferentes tradições e sobre o espaço destinado ao cultivo da espiritualidade dentro do ambiente escolar – que, não raras vezes, privilegia o individualismo, a competitividade e o consumismo.

A educadora argumentou que os docentes não têm a necessária formação para promover um diálogo isento de proselitismo. Segundo Roseli, seria muito difícil criar e transmitir um conteúdo que não confundisse as crianças, sobretudo as menores, que estão recebendo valores de suas famílias e grupos religiosos. “A transversalidade no ensino religioso já não é fácil nem para adultos”, disse. Numa escola laica, a religião estaria presente nos conteúdos existentes (como história, por exemplo), que abririam o necessário espaço ao debate sobre tolerância religiosa. Quanto ao cultivo da espiritualidade, Roseli Fischmann defendeu que o contraponto ao individualismo e ao consumismo está no estímulo à solidariedade e na defesa de valores e direitos humanos que, universais, não se limitam ao tão particular campo das crenças religiosas.

Por Suzel Tunes, da Assessoria de Comunicação da Universidade Metodista.

Família inteira na Ásia Central se converte a Cristo

ÁSIA CENTRAL - Um pastor na Ásia Central nos contou a seguinte história:“Certo dia, uma garota muçulmana veio até minha casa com alguns de seus parentes e me disse que tinha tido um sonho no qual sua mãe, que havia morrido recentemente, dizia que ela deveria urgentemente ir até um determinado endereço. No sonho, a mãe lhe dizia: ‘Você encontrará seu passaporte para o céu ali’.No começo, a filha pensou que aquele sonho era estranho demais, mas ela não conseguia esquecê-lo, então, falou com o pai e reuniu a família. Ela disse a todos sobre seu sonho e compartilhou as instruções que a mãe havia dado. Ninguém realmente entendeu o que havia acontecido, mas decidiram ir até o tal endereço. Eles bateram em nossa porta e eu realmente fiquei surpreso em vê-los.Quando a garota me contou sobre o sonho e sobre o que sua mãe havia lhe dito, eu fiquei perplexo. Aos poucos eu comecei a entender porque a família havia sido enviada para nós. Então, os convidei para entrar em minha casa e comecei a contar a eles sobre a mãe da jovem.‘Sua mãe era cristã, mas ela não ousou compartilhar isso com você e nem com ninguém da família porque achava que era arriscado demais, mas obviamente o próprio Deus enviou vocês para cá para que pudessem saber a respeito deste ‘passaporte para o céu’”.Em seguida, ele compartilhou a mensagem do evangelho para toda a família e o pai e todos os outros ficaram profundamente tocados. Eles queriam saber mais sobre o Senhor Jesus. Todos tomaram a decisão de se tornarem seguidores de Jesus: um total de 11 familiares. Nós ficamos maravilhados pela maneira como Deus havia falado com eles através do sonho e, então, salvo a família inteira.Ore para que eles cresçam na fé e tenham um relacionamento profundo com Cristo. Tradução: Homero S. Chagas
Fonte: Portas Abertas

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Presidente Lula: “Antes das eleições, todo evangélico é bom...”

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse na segunda-feira, 7, que o sucesso internacional de empresas e setores econômicos brasileiros se deve ao empenho de seu governo em defender os interesses do país no exterior. Ele também acusou governos passados de não fazerem o mesmo."[O Brasil] está dando certo porque eu não tenho vergonha de chegar em qualquer país do mundo e defender o algodão brasileiro, defender a cana e o álcool brasileiro, defender a soja, o milho e o empresário brasileiro.Não tenho nenhuma vergonha, muito menos demérito. Sinto orgulho de defender as coisas que esse país faz", disse Lula, durante anúncio do Plano Safra 2010/2011, na sede da Embrapa, em Brasília.Lula disse que foi o governante que mais tratou com respeito os produtores de álcool e criticou governos políticos que só se aproximam dos usineiros com interesses eleitorais."Neste país, por interesses eminentemente políticos, tinha governante que tinha vergonha de usineiro. Não tinha vergonha possivelmente de pedir dinheiro para campanha, mas tinha vergonha depois de dizer que era amigo de usineiro."O presidente também criticou políticos que se aproximam dos evangélicos apenas em época de eleições e disse que não tem "duas caras.""Tem político que tem vergonha de evangélico. Antes das eleições,todo evangélico é bom. Depois das eleições, se puder não recebe porque significa atraso. Comigo não tem essa história." "Não é possível governar um País desse tamanho com duas caras. Ou você se mostra e faz as coisas do jeito que têm que ser feitas, ou o Brasil não poderia dar certo. E todos nós somos testemunhas de que o Brasil está dando certo", afirmou.O presidente disse "não ter vergonha" de defender "em qualquer país do mundo" os produtos nacionais, o empresariado brasileiro. "Não tenho vergonha nem demérito nenhum. Sinto orgulho de defender as coisas que esse País faz", afirmou.Fonte: Folha Online

Cristãos nigerianos sofrem novo ataque

Houve mais um ataque aos cristãos na Nigéria, dessa vez o ocorrido se deu no Estado de Kano. Agora, duas igrejas e a casa de um pastor foram destruídas.Assim como no último incidente, ocorrido em maio, cerca de 100 jovens muçulmanos extremistas aproximaram-se das propriedades e da igreja, atacaram as pessoas que estavam ali e incendiaram as construções. Felizmente dessa vez ninguém foi assassinado, entretanto, por causa do grande número de mortos do último ataque, pouco se tem falado na mídia sobre esse novo incidente. E também raramente a mídia trata desses ataques como perseguição religiosa, mas, sim, na maioria das vezes, como conflitos tribais.A Nigéria está dividida pelo meio, tendo muçulmanos ao norte e cristãos ao sul, mas, apesar dos últimos ataques, nem toda a violência é cometida apenas por muçulmanos radicais contra cristãos evangélicos. Muitos cristãos nominais ou pessoas que se denominam “cristãos” apenas porque não são muçulmanas e são afetadas pelos conflitos têm atacado também as comunidades muçulmanas.É importante ressaltar também que realmente nem toda violência tem fundamento religioso. De acordo com a ABC News, há um sério conflito histórico entre o grupo étnico Berom (predominantemente cristão) e os grupos Hausa e Fulani (predominantemente muçulmano). Além disso, as disputas políticas pelo lucro com o petróleo na região também contribuem para os últimos incidentes.Ainda assim, há grande esperança e muitos cristãos têm demonstrado isso. Após os ataques de março, muitos pastores começaram a pregar sobre perdão e o cerne da pregação desses irmãos tem sido: “Foi isto que ocorreu com Cristo: ele foi perseguido! Nós temos experimentado o que ele mesmo sentiu em nossas próprias vidas. Mas quando Cristo estava dependurado na cruz, ele disse: ‘Perdoa-os, pois não sabem o que fazem’. Esta é a nossa chance de experimentar isso também!”.Os cristãos têm ouvido a essa mensagem e, apesar dos novos ataques, têm permanecido firme no Evangelho e no perdão. Ore pela recuperação física e emocional dos muitos cristãos que ficaram feridos no ataque de maio e ainda sofrem com isso e peça ao Senhor que esse novo incidente possa ser uma semente de avivamento. Tradução: Homero S. Chagas
Fonte: Mission Network News

terça-feira, 8 de junho de 2010

Parlamentares exigem morte de cristãos afegãos

Nas últimas semanas, os cristãos afegãos têm se preocupado com as ameaças feitas por parlamentares. De acordo com a Imprensa Associada, o líder parlamentar Abdul Satter Khowasi ameçou executar cristãos que fossem ex-muçulmanos e que estivem envolvidos nas filmagens transmitidas pela televisão afegã. As imagens mostravam alguns cristãos sendo batizados e orando em persa.Ele disse: “Os afegãos que apareceram naquele vídeo deveriam ser executados publicamente. O parlamento deveria acionar o promotor geral e o serviço secreto para prender aqueles afegãos e executá-los”.Diversas organizações cristãs já foram fechadas no país e muitas entidades por todo o mundo tem tentado ajudar esses cristãos perseguidos. Constantemente a televisão local reporta imagens de protestos feitos pelos alunos da Universidade de Kabul. Eles gritam ameaças de morte aos cristãos e exigem que todos os estrangeiros que forem acusados de proselitismo sejam imediatamente expulsos do país.Quando as pessoas tornam público o seu relacionamento com Cristo, a maioria sente-se ameaçada e é falsamente acusada da seguinte maneira: “os muçulmanos têm sido forçados a se tornarem cristãos, eles têm sido manipulados por vocês cristãos”. Algumas vezes, essa fala tem um sério impacto sobre a igreja, mas nem sempre isso ocorre, pois, apesar do medo e do fato de que muitos desses ex-muçulmanos não possam mais ir à igreja, a perseguição tem verdadeiramente fortalecido a Igreja afegã e, como já vimos, muitos têm aceitado a Cristo e sido batizados.O pedido que os cristãos fazem é que seus irmãos por todo o mundo orem por eles para que sejam libertos do medo e consigam ficar no país. Os últimos relatos são de que muitos dos cristãos afegãos estão escondidos com muito medo de serem realmente executados. Tradução: Homero S. Chagas
Fonte: Mission Network News

CGADB divulga nota oficial e rebate acusações de Silas Malafaia e do 1º tesoureiro

Presidente, Pr. Jose Wellington Bezerra da Costa, em nota oficial fala sobre renúncia do 1º vice-presidente (Pr. Silas Malafaia) e 1º tesoureiro (Pr. Antonio Silva Santana) rebatendo graves acusações. Confira a nota na íntegra:NOTA DE ESCLARECIMENTOAOS MEMBROS DA CONVENÇÃO GERAL DAS ASSEMBLEIAS DE DEUS NO BRASIL – CGADBA MESA DIRETORA da CONVENÇÃO GERAL DAS ASSEMBLÉIAS DE DEUS NO BRASIL – CGADB – tendo tomado conhecimento de que circulam na internet as comunicações de renúncias do 1º vice-presidente e do 1º tesoureiro, pastor Silas Lima Malafaia e pastor Antonio Silva Santana, respectivamente, nas quais os ilustres e eminentes servos de Deus expõem a esta Mesa Diretora as razões motivadoras de suas renúncias, por amor à verdade e para espancar eventuais dúvidas quanto à integridade e lisura dos signatários na condução dos interesses sociais da nossa veneranda CGADB, esta cumprindo o seu dever espiritual, moral, estatutário e legal de defender a instituição e ao seu órgão diretivo na forma do estatuto social em vigor, vem ao público prestar os seguintes esclarecimentos, por amor à verdade e respeito às consciências daqueles que pugnam por uma conduta séria, honrada e espiritual, como convém a todos que servem na seara do Senhor Jesus:1) Na notificação firmada pelo ilustre pastor Silas Lima Malafaia, foi comunicada a sua renúncia ao cargo de 1º vice-presidente da CGADB, eleito que foi na última Assembléia Geral Ordinária em Vitória-ES, em abril de 2009, como também o seu desligamento do quadro de membros. Evidentemente que poderia ter ocorrido a renúncia sem o desligamento, pois a primeira não era dependente da segunda. Os motivos apontados na precitada comunicação não são atuais, pois, como ele próprio diz, “Tais denúncias, por oportunidade da última Convenção da CGADB, restaram integralmente comprovadas em trabalho realizado por comissão formada para esse fim, cujo relatório só foi aprovado com as ressalvas e obrigações de apresentar balancetes” . Esta Mesa Diretora já se manifestou anteriormente por nota de esclarecimento similar à presente, publicada no jornal Mensageiro da Paz, nº 1.490, de julho/2009, por ocasião de manifestação televisiva de outro convencional.2) Conforme disposição contida no artigo 44, III, do estatuto social em vigor, o atendimento das exigências da precitada comissão especial a que se referiu o renunciante não era, como não é, de todo o órgão diretivo, mas do 1º tesoureiro, como a seguir transcrito:“Art. 44. Compete ao 1º Tesoureiro:III – elaborar o relatório financeiro e apresentá-lo trimestralmente ao Conselho Fiscal e bienalmente à Assembléia Geral Ordinária;” Portanto, trata-se de competência legal individual específica, cabendo àquele que foi eleito para o cargo ter consigo a consciência da atribuição que lhe é conferida pela norma estatutária;3) Quanto à renúncia do 1º tesoureiro, o honrado servo de Deus pastor Antonio Silva Santana, foi alegado, dentre outros motivos para a sua renúncia, que: a) “só tomei posse em 29 de julho de 2009”; b) “só a partir desta data é que fui tomando conhecimento da real situação fiscal e financeira da CGADB”; c) “a cada dia fica impossível o levantamento de toda a documentação contábil, fiscal e bancária, uma vez que não foi atendida à solicitação do Conselho Fiscal da CGADB lavrado em 12 de março de 2010 solicitando uma auditoria nas contas do mandato anterior a 2009”; 4) Confrontando-as, a Mesa Diretora esclarece:a) o ilustre renunciante não tomou posse na data por ele alegada, pois ela ocorreu juntamente com os demais eleitos no dia 25 de abril de 2009, conforme o termo por ele assinado, passando a ser de fato e de direito o 1º tesoureiro da CGADB a partir de então. Se o tesoureiro anterior não lhe repassou as informações inerentes ao exercício do mandato anterior, o fato fica restrito aos dois e não a todo o órgão diretivo;b) na condição de eleito e empossado, passou a ser de sua exclusiva competência solucionar as pendências existentes, podendo, inclusive, ter solicitado a cooperação do Conselho Fiscal para proceder aos levantamentos necessários para o perfeito esclarecimento dos fatos, o que não aconteceu;c) atendendo à solicitação do ilustre renunciante, a presidência autorizou-lhe contratar todos os funcionários necessários ao perfeito desempenho das tarefas da tesouraria, tendo ele contratado com vínculo empregatício apenas um assessor, que não residia na sede da CGADB, e substituído duas funcionárias para as tarefas subalternas;d) na reunião da Mesa Diretora realizada em 12 de março de 2010, em cuja data o Conselho Fiscal apresentou o pedido de realização de auditoria referido pelo renunciante em sua notificação, foi decidido que uma comissão especial procederia todos os levantamentos necessários junto à Tesouraria, controladoria, prestadores de serviços, bancos, etc, para esclarecer os fatos e apontar as soluções adequadas, para que fossem atendidas as recomendações contidas no relatório da comissão especial da Assembléia Geral Ordinária realizada em Vitória-ES. Após os exaustivos trabalhos desenvolvidos pela precitada comissão especial, o qual contou com a participação pessoal do renunciante, foi elaborado um relatório apontando os fatos que impediram a apresentação dos balanços dos exercícios de 2007 e 2008, e as medidas corretivas necessárias ao atendimento das exigências legais;e) no mesmo relatório, a comissão especial relata que muitos dos cheques emitidos pela CGADB e devolvidos pelas instituições bancárias sacadas foram em razão de convenções afiliadas e alguns convencionais terem pago as anuidades e inscrições de membros para participarem da Assembléia Geral em Vitória-ES em até dez parcelas, e os respectivos boletos bancários e cheques por elas emitidos não terem sido honrados pelos emitentes, o que contribuiu para que os cheques emitidos para pagamentos com as receitas oriundas das anuidades e inscrições não terem sido cobertos;f) a comissão especial também conseguiu, através do profissional que presta serviços na área de informática, unificar e uniformizar os dados utilizados pela Secretaria Geral e Tesouraria, resgatar as informações financeiras e documentação que permitissem a elaboração dos balanços acima referidos pelo contador, resgatar os cheques devolvidos que estavam em poder de terceiros e proceder as baixas junto aos bancos sacados com baixa nos órgãos de créditos, o que está contribuindo para normalização do funcionamento da tesouraria e controladoria da CGADB.Resta claro, portanto, que as motivações para as renúncias, embora pareçam similares, são distintas, pois enquanto o pastor Silas Lima Malafaia usou fatos já ultrapassados, abordados e decididos pela Assembléia Geral em Vitória-ES, o pastor Antonio Silva Santana não teve as iniciativas que lhe cabiam tomar para solucionar as dificuldades herdadas de gestões anteriores à sua, por ter assumido o cargo que traz consigo os encargos atribuídos pelo estatuto social, dentre outros, o de apresentar os relatórios financeiros e contábeis.Considerações FinaisPara finalizar a presente NOTA, e ainda objetivando tratar a questão “dificuldades financeiras” enfrentadas pela Convenção Geral, os esclarecimentos adicionais se fazem necessários: - A Convenção Geral, sendo uma associação de ministros do evangelho, não de igrejas, conta como únicas fontes de receitas as anuidades de seus membros, os repasses efetuados pela CPAD e, por ocasião da Assembléia Geral, as taxas de inscrições.- É de amplo conhecimento que, na prática, grande maioria dos pastores cadastrados regulariza suas anuidades somente nos períodos que antecedem a Assembléia Geral.- Se anexarmos um extrato/planilha referente ao pagamento de anuidades, facilmente será constatado que o último aporte substancial foi no período que antecedeu a AGO em Vitória/ES, mês de abril/2009.- Trata-se de um hábito pagar as anuidades somente às vésperas das Assembléias Gerais.- Todavia, a Convenção Geral, para dar o devido atendimento diário em sua sede nacional, no Rio de Janeiro-RJ, mantém um prédio de quatro (4) andares em funcionamento, com quadro de funcionários, Secretária Geral, Tesouraria, todos devidamente registrados e assalariados.- Toda a infra-estrutura e custeio para a realização da Assembléia Geral são integralmente pagos pela CGADB. As três últimas (RIO/2005 – SÃO PAULO/2007 – VITÓRIA/2009) e também as duas últimas Extraordinárias (FLORIANÓPOLIS/SC/2006 e PORTO ALEGRE/RS/2008) acarretaram para a CGADB despesas elevadíssimas, haja vista a logística para receber os pastores de todo o Brasil. O número de participantes, cada vez maior, sendo cerca de 4.000 no Rio, 10.000 em São Paulo, 17.000 em Vitória, além de 2.500 em Florianópolis e 4.500 em Porto Alegre.- Todos nós sabemos o quanto custa promover e reunir, por prazo de uma semana, contingente de tal magnitude. Façam seus cálculos.- Analisem ainda, juntamente conosco, o seguinte: Para dar cumprimento aos seus objetivos sociais, a Convenção Geral, por intermédio da Mesa Diretora, realiza simpósios, seminários, reuniões, assembléia geral nas diversas regiões do País, ocasião em que os ocupantes de cargos em Conselhos/Comissões são convocados. Todos exercem suas atribuições estatutárias sem qualquer remuneração, contando apenas com o reembolso de despesas relativas à hospedagem, alimentação e passagens aéreas.- É cada vez maior o número de reuniões dos órgãos diretivos da CGADB. Os membros residem nas mais longínquas cidades. Contabilizem.- Não é estranho, no âmbito da CGADB, a existência de parceiras de viagens e hospedagens em reuniões maiores, sendo natural que tais empresas, na condição de prestadoras de serviços, façam jus aos acréscimos legais em situação de demora no pagamento por serviços efetivamente prestados.- Enquanto outras associações de grande porte, sem identificarmos a sigla, exigem de seus associados pagamentos mensais de R$ 95,00 (mensalidade: R$ 50,00 + Publicações/Boletins: R$ 45,00), nós, pastores, esperamos a cada dois anos para desembolsarmos R$ 120,00. Lamentavelmente, inúmeros pagamentos de anuidades e inscrições para Assembléias Gerais, efetuados em cheques, não foram honrados.- Ora, senhores pastores, uma entidade que aufere receitas mais significativas somente por ocasião da Assembléia Geral, não dispondo de outros meios para alavancar recursos; uma entidade que direciona os valores das inscrições em Assembléias para custeio do evento; uma entidade que pacientemente aguarda os períodos pré-convencionais para “cobrar” seus associados; uma entidade que vê a cada ano crescer o número de participantes em Assembléia Geral, acarretando custos elevadíssimos, não é de se admirar, de causar espanto, surpresa, que tal entidade esteja padecendo dificuldades financeiras.- Com os argumentos fáticos ora expostos, o que pretendemos é afastar as qualificações de “DESMANDOS, DESCALABRO, CONIVÊNCIA”, referidas em uma das notificações supracitadas. Segundo o Dicionário Aurélio, da Língua Portuguesa, “DESMANDO: é ato ou efeito de desmandar. Desobediência. Excesso. Abuso. DESCALABRO: Grande dano ou perda. Ruína. DESMANDAR: Mandar o contrário de (o que se tinha mandado). Transgredir ordens”.- Pedimos aos pastores do Brasil que analisem a vida pessoal e o ministério de cada um de nós, diretores da Convenção Geral; que reflitam sobre os vários anos de pastorado; que avaliem e pesem os vários anos a serviço da Convenção Geral, sem qualquer apego material ou financeiro, sem qualquer remuneração, pois entendemos que o trabalho feito junto à nossa instituição também faz parte da chamada e da vocação ministerial; e nos respondam se por nossos feitos merecemos ser “rotulados” com os adjetivos de desobedientes, transgressores de ordens, abusadores, causadores de dano, destruidores. Acreditamos que não.Finalmente, a Mesa Diretora lamenta profundamente os afastamentos dos ilustres e honrados companheiros renunciantes, nada podendo fazer em respeito aos mesmos, senão acatar as decisões pessoais de ambos e adotar as providências estatutárias para as substituições, mediante a convocação de Assembléia Geral Extraordinária para deliberar quanto às mesmas, e encaminhar ao Conselho Fiscal os balanços já elaborados para apreciação e parecer do Conselho Fiscal, e encaminhamento ao conhecimento de todos os membros da nossa CGADB.Na certeza de terem sido os esclarecimentos necessários, permanecemos orando a Deus para que as Suas bênçãos continuem sendo derramadas nas vidas e ministérios dos ilustres servos de Deus renunciantes, ao tempo que manifestamos sincera gratidão pelo empenho de ambos para o progresso de nossa instituição.Natal, RN, 5 de junho de 2010Pr. Jose Wellington Bezerra da CostaPresidenteFonte: CPAD

Assembleia de Deus está sob investigação da Polícia Federal

A Polícia Federal (PF) instaurou um inquérito policial para investigar os irmãos Jônatas, Dan e Samuel Câmara ,a Igreja Assembleia de Deus e a Fundação Boas Novas - entidades dirigidas por eles - por suspeita de ‘lavagem de dinheiro’ e evasão de divisas. O inquérito está no site do Tribunal Federal (TRF) da 1ª Região, no processo 2005.01.00. 000005-4.A investigação foi confirmada pelo superintendente da PF no Amazonas, Sérgio Fontes. Jônatas é presidente da Assembleia de Deus no Estado, Samuel dirige a igreja no Pará e Dan Câmara é pastor da igreja e comandante-geral da Polícia Militar (PM) do Estado.Segundo o superintendente da PF, o inquérito é um desdobramento das investigações da operação Farol da Colina, deflagrada em setembro de 2004, que apurou crimes de lavagem de dinheiro e remessa ilegal de recursos para o exterior envolvendo empresários de sete Estados, incluindo o Amazonas.Na época, a PF descobriu que havia nos Estados um esquema milionário de evasão de divisas, com o envio de dinheiro a uma conta de um banco em Nova York, nos Estados Unidos, o ‘Beacon Hill Service Corporation’. O dinheiro, de acordo com a PF, foi enviado no período de 1999 a 2002. Os valores variavam de R$ 30 mil a R$ 20 milhões, sem declaração ao fisco.Um ano depois de deflagrada a operação, a PF abriu 350 inquéritos, informou, na época, o ex-superintendente da instituição, Kérsio Pinto. “Muitas pessoas foram citadas e precisamos abrir inquérito para cada uma delas”, disse Kérsio, em outubro de 2005.Sérgio Fontes disse que entre os inquéritos originados da operação ‘Farol da Colina’ está uma investigação contra os irmãos Câmara. “Documentos e gravações de escutas telefônicas da operação Farol da Colina mostraram indícios de que os referidos pastores enviaram grandes quantias ao exterior, naquele caso envolvendo a conta do Beacon Hill (banco de Nova York). Por isso, decidimos instaurar um inquérito para apurar as informações”, declarou.Sobre a investigação do crime de ‘lavagem de dinheiro’, o superintendente disse que não podia falar sobre o assunto para não atrapalhar as investigações. A ‘lavagem de dinheiro’ é uma forma de tornar legítimo o dinheiro obtido de maneira ilícita.De acordo com o superintendente da Polícia Federal, o inquérito em que os três dirigentes da Assembleia de Deus são investigados não foi concluído e informações ainda estão sendo apuradas. “Precisamos deixar claro que se trata de uma investigação e, até agora, não se tem culpados”, afirmou.ComplexoO delegado federal Eduardo Izel - que apura as denúncias contra os irmãos Câmara - disse que as investigações, iniciadas em 2004, ainda não foram finalizadas porque ‘muitas’ pessoas precisaram ser ouvidas, principalmente, fora do Brasil.“Esse inquérito é muito complexo, porque muita gente foi ouvida e algumas eram de fora do Brasil”, explicou Izel. Ele disse que, até o final de junho, o inquérito será concluído e enviado à Justiça. O delegado informou também que, até o final deste mês, mais duas pessoas serão ouvidas. Ele não quis identificá-las, alegando segredo de Justiça.De acordo com o site do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), o inquérito contra os irmãos Câmara e a Assembleia de Deus já teve pelo menos 62 movimentações desde o dia em que foi instaurado em 2 de dezembro de 2004. Atualmente, o processo, segundo o site, está na Polícia Federal para o cumprimento de diligências. Além do delegado federal Eduardo Izel, também atua no processo o procurador da República Ageu Florêncio que, segundo a assessoria de imprensa do Ministério Público Federal (MPF), está de férias.Assembleia de DeusA Assembleia de Deus é uma denominação evangélica, sendo a maior do Brasil no ramo pentecostal e uma das maiores no mundo.A Assembleia de Deus chegou ao Brasil por intermédio dos missionários suecos Gunnar Vingren e Daniel Berg, que aportaram em Belém, capital do Estado do Pará, em 19 de novembro de 1910, vindos dos Estados Unidos. A princípio, frequentaram a Igreja Batista, denominação a que ambos pertenciam nos Estados Unidos. Eles traziam a doutrina do batismo no Espírito Santo, com a glossolalia — o falar em línguas espirituais (estranhas) — como a evidência inicial da manifestação para os adeptos do movimento. A manifestação do fenômeno já vinha ocorrendo em várias reuniões de oração nos Estados Unidos (e também de forma isolada em outros países), principalmente naquelas que eram conduzidas por Charles Fox Parham, mas teve seu apogeu inicial através de um de seus principais discípulos, um pastor leigo negro, chamado William Joseph Seymour, na rua Azusa, Los Angeles, em 1906.A Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB) possui sede no Rio de Janeiro, esta se considera o tronco da denominação por ser a entidade que desde o princípio deu corpo organizacional à igreja. A CGADB hoje conta com cerca de 3,5 milhões de membros em todo o Brasil (dados do Iser) e centenas de missionários espalhados pelo mundo.A CGADB é proprietária da Casa Publicadora das Assembleias de Deus (CPAD), com sede no Rio de Janeiro, que atende parcela significativa da comunidade evangélica brasileira. À CGADB também pertence a Faculdade Evangélica de Tecnologia, Ciências e Biotecnologia (Faecad), sediada no mesmo Estado, e que oferece os seguintes curso em nível superior: Administração, Comércio Exterior, Marketing, Teologia e Direito.Fonte: D24am e Ogalileu

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Pastor e família são atacados

No dia 28 de maio, 12 homens armados atacaram um pastor e sua família em Smundri, Paquistão. O pastor Mubarak Masih e sua família foram atacados depois que Shaid Masih, o sobrinho do pastor, de 13 anos, se recusou a ler alguns versos do Alcorão, mesmo sendo pressionado por seu professor.Os muçulmanos bateram na cabeça do pastor com paus e barras de ferro; quase mataram seu irmão com tiros, e quebraram o braço da mulher dele.Em uma declaração para a International Christian Concern (ICC), a família disse que Zufair Gujhar, professor de Shaid, é um muçulmano fundamentalista, que força seus alunos cristãos a lerem o Alcorão e outros livros muçulmanos. Ele pressiona os alunos a aceitarem o islamismo.O pastor Mubarak, um pastor da Igreja de Deus, “Continuaremos nosso trabalho missionário a qualquer custo e ninguém poderá nos parar”.A família relatou o incidente para a polícia, mas eles não tomaram nenhuma atitude contra os criminosos. Tradução: Missão Portas Abertas

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Presidente quer suspender trabalho de ONGs cristãs

O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, tem demonstrado um interessa pessoal no caso de duas organizações ocidentais no centro de uma controvérsia sobre o proselitismo cristão.O governo afegão suspendeu duas ONGs cristãs depois que um programa de TV afirmou que eles estavam cometendo proselitismo. O que é ilegal no país muçulmano.As organizações - Norwegian Church Aid e Church World Service of the United States – estão sendo investigadas depois que a TV Noorin relatou que elas haviam convertido muçulmanos ao cristianismo. Conversões do islamismo para outra religião é punível de morte sob a lei afegã. A constituição está fundamentada na sharia, lei islâmica tradicional, que proíbe a conversão religiosa.“O presidente do Afeganistão está pessoalmente interessado em acompanhar esse assunto”, declara Waheed Omar. “No ponto de vista do presidente, essa é uma questão muito séria e precisa ser investigada”.Uma das organizações publicou uma declaração negando as acusações e dizendo que ela trabalha para melhorar a vida dos afegãos mais vulneráveis.O deputado Abdul Sattar Khawasi, quer que os muçulmanos que se converteram ao cristianismo sejam executados. Um legislador da província de Herat, Qazi Nazir Ahmad, disse que matar um ex-muçulmano, agora cristão, “não é crime”.Ore por essa situação. Peça a Deus que traga paz e sabedoria para os cristãos, e para que e presidente e todos os acusadores conheçam o amor de Cristo. Tradução: Missão Portas Abertas
Fonte: AFP

quinta-feira, 3 de junho de 2010

De perseguidor a perseguido

Abdus Samad reúne os jovens de seu vilarejo em Nilphamari, norte de Bangladesh. Furioso, Samad fala: “Um cristão está vindo para cá, para converter as pessoas. Não podemos permitir que ele faça isso! Colham o máximo de varas de bambu que puderem. Vamos usá-los como armas”, ele disse.O tal dia chegou. Quando Samad soube onde o cristão estava, ele correu até e ficou surpreso ao ver seu tio e seu sobrinho entre a multidão. “Por que eles estão mergulhando na água?”, questionou ele.A cena deveria ter enfurecido Samad. No entanto, ele ficou curioso. Ele queria saber por que as pessoas estavam mergulhando e sobre o que o cristianismo falava. Enquanto Samad pensava, seu tio veio em sua direção para cumprimentá-lo. Eles conversaram sobre Samad conhecer o cristão, que era pastor.Samad concordou. Ele esperou até que a cerimônia acabasse. Quando se aproximou, os cristãos – que pensaram que Samad iria machucar o pastor – o barraram.“Ele não pode ver você agora. Está descansando”, disseram. “Mas eu só queria conversar com ele sobre o cristianismo e sobre esses mergulhos”, respondeu Samad.De outra sala, o pastor ouviu a conversa e advertiu as pessoas a deixar Samad entrar. Depois de se cumprimentarem, Samad despejou suas dúvidas, enquanto o pastor respondia a cada uma delas com muita calma. A ausência de medo nos olhos do pastor impressionou muito os muçulmanos.Após sua conversa com o pastor, Samad ficou pensando muito. O cristão disse que Jesus era o único caminho para o céu. “Eu tenho apenas que crer e aceitá-lo como meu Salvador?”, Samad pensou. Ele estava confuso por que o cristianismo parecia muito fácil. Mas o pastor falava com confiança e convicção.O pastor não tinha medo de Samad, que havia planejado agredi-lo com bambus alguns dias antes. Em seu coração, Samad queria saber o que o cristão possuía, e se decidiu em seu próximo passo: “Quero mergulhar na água também”.Samad fez uma oração de salvação e foi batizado em 2007. Antes de perceber, Samad estava mergulhando nas profundas águas da perseguição também. As notícias sobre sua conversão se espalharam em todo o vilarejo, e o líder muçulmano local foi o primeiro a pressionar Samad a voltar para o islamismo – e com dinheiro.O ex-muçulmano foi excluído da sociedade. Seu negócio foi fechado, e sua família começou a passar fome. Durante uma reunião no vilarejo para decidir o futuro de Samad, um dos líderes questionaram se ele recebia dinheiro de homens brancos. Samad respondeu: “Não. Eu só recebi a vida eterna através de Jesus Cristo. É por causa disso que eu me tornei cristão”.Quando Samad percebeu que o líder do vilarejo estava ouvindo, ele começou a repetir tudo o que ouvira do pastor, sem saber que estava citando a Bíblia. Ele não tinha lido a Palavra, pois não sabia.Depois da reunião, Samad pode abrir seu negócio novamente. “Contanto que você não converta as pessoas ao cristianismo”, alertou o líder. Quando tudo se acalmou para Samad, ele ficou mais firme em sua caminhada com Cristo e entrou para uma igreja no vilarejo.“Os clientes começaram a voltar. Finalmente há paz em nossa casa. Minha esposa cozinha para meu restaurante. Quando juntar mais dinheiro, vou expandir meu negócio e contratar dois ou três funcionários, para que minha esposa possa passar mais tempo com as crianças.Samad é um dos beneficiários do projeto de microcrédito da Portas Abertas. Ele também participou das aulas de alfabetização da Portas Abertas em 2009, e agora consegue ler a Bíblia e cantar com o hinário. Tradução: Missão Portas Abertas
Fonte: Portas Abertas

Promotores investigam arcebispo alemão sob alegação de envolvimento em abuso

Promotores da Alemanha estão investigando o líder dos bispos católicos da igreja do país sob suspeita de ajudar e induzir o abuso sexual de crianças.O arcebispo Robert Zollitsch, de Freiburg, é suspeito de permitir o remanejamento de um padre acusado de abuso infantil em 1987.Zollitsch era o encarregado dos funcionários em Freiburg na época.A arquidiocese rejeitou a acusação e afirmou que promotores e imprensa estão fazendo "sensacionalismo".A arquidiocese também afirmou que o arcebispo Zollitsch não foi o responsável pela nova indicação do padre, uma decisão tomada de forma independente pela ordem religiosa a qual o padre pertencia, de acordo com a agência de notícias Reuters.Um dos promotores, Wolfgang Maier, teria afirmado que a acusação contra Zollitsch é baseada em apenas uma reclamação de uma vítima de abuso e ainda precisa ser investigada.A Alemanha é um dos vários países europeus no qual a Igreja Católica foi atingida por uma série de acusação de abusos contra criança em 2010.Nos últimos meses, o arcebispo Zollitsch, que chefia a Conferência dos Bispos da Alemanha, já pediu desculpas às vítimas de abuso, afirmando que a Igreja Católica não ajudou estas vítimas.Fonte: BBC Brasil

Papa condena ação de Israel e diz que violência gera violência

Em audiência pública nesta quarta-feira, o papa Bento 16 condenou o ataque dos militares israelenses contra a frota de navios que se dirigia à Faixa de Gaza, na segunda-feira, e fez um apelo em favor do diálogo.“Mais uma vez repito, com o espírito aflito, que a violência não resolve as controvérsias, mas aumenta as dramáticas consequências e gera mais violência”, disse Bento 16 diante de fiéis na Praça de São Pedro, no Vaticano.O pontífice disse que acompanha com preocupação os acontecimentos na região.“Sinto a necessidade de expressar meu profundo pesar pelas vítimas destes dolorosos eventos que preocupam quem anseia pela paz na região. Convido a todos para se unirem às minhas orações pelas vítimas, por seus familiares e pelos que sofrem”, disse o líder da Igreja Católica.O papa também fez um apelo aos lideres políticos, pedindo para que não deixem de buscar a paz na região.“Faço um apelo aos que têm responsabilidade em nível local e internacional para que busquem sem cessar soluções justas por meio do diálogo, para que sejam garantidas melhores condições de vida, em concórdia e serenidade, para as populações daquela área.”ViagemO conflito entre israelenses e palestinos estará na pauta da viagem do papa a Chipre, que começa na sexta-feira, dia 4.Durante sua estadia de três dias, Bento 16 deverá entregar o texto-base sobre os argumentos que serão discutidos na Assembleia Especial sobre o Oriente Médio do Sínodo dos Bispos, para entregá-lo aos prelados daquela região.Segundo agências de notícias da Itália, o texto condenaria a ocupação dos territórios palestinos por parte de Israel.“A ocupação israelense dos territórios palestinos torna difícil a vida cotidiana, a economia e a vida social e religiosa. Para ter acesso aos locais sagrados é necessária a autorização dos militares. Alguns grupos fundamentalistas cristãos justificam a injustiça política imposta aos palestinos, o que torna ainda mais delicada a posição dos cristãos árabes”, diz o texto.A Assembleia, que está sendo considerada como um evento histórico, vai ocorrer em outubro em Roma.Fonte: BBC Brasil

terça-feira, 1 de junho de 2010

Padre é preso pela 5ª vez suspeito de dirigir bêbado

Condenado pela Justiça por embriaguez ao volante e indiciado em três inquéritos policiais por cometer infrações de trânsito, dirigir embriagado, atropelar dois motociclistas e fugir sem prestar socorro, o padre Aparecido Donizete Bianchi, de São José do Rio Preto, no interior de São Paulo, foi detido mais uma vez. Ontem, ele foi parado por patrulheiros rodoviários no quilômetro 98 da BR-153, em José Bonifácio, quando dirigia em zigue-zague, a ponto de causar um acidente. Bianchi, que estava sem Carteira Nacional de Habilitação (CNH), apreendida depois de atropelar dois motociclistas em agosto de 2009, se recusou a fazer o exame do bafômetro, mas se submeteu a exame de dosagem alcoólica depois de ser levado ao Plantão Policial, em José Bonifácio.De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública (SSP), o padre disse que havia rezado três missas e tomado um cálice de vinho em cada uma delas. O delegado de polícia da cidade, Sebastião José Guzolinho, se negou a prestar informações à imprensa, mas mandou dizer por meio da Secretaria de Segurança Pública (SSP) que vai esperar o resultado do exame de dosagem para decidir se abre inquérito. Por telefone, Bianchi negou as acusações, afirmou que não cometeu crime algum e que deve ter sido confundido com outro motorista. "Não sei o que aconteceu, mas não é nada comigo, acho que me confundiram", disse o padre. "Não era eu quem estava dirigindo embriagado, eu não assinei nada", completou. O padre reclamou do assédio da imprensa para ouvi-lo depois dos "incidentes". "A mídia só me procura para noticiar coisas ruins. E foi ela quem me expulsou de Rio Preto."O padre, de 52 anos, perdeu o cargo de pároco da Catedral São José, a matriz de São José do Rio Preto, e foi transferido para a cidade vizinha de Planalto depois que atropelou dois motociclistas, em agosto de 2009, ao invadir uma preferencial no centro da cidade e fugir sem prestar socorro. Ele ainda fazia tratamento contra alcoolismo quando em janeiro deste ano invadiu outra preferencial e bateu num carro de um aposentado.Na madrugada de 26 de dezembro de 2006, o padre dirigia na contramão do calçadão de São José do Rio Preto quando foi parado por policiais militares. Visivelmente alcoolizado, ele aproveitou o som alto do carro para dançar a música do "É o Tchan" e fazer gestos obscenos para os PMs. Foi levado ao plantão policial e, posteriormente, condenado pela Justiça a dois anos, mas a pena foi transformada em multa. Fonte: Agência Estado

Amantes de padres católicos pedem fim de celibato em carta aberta

Representantes de um grupo de mulheres que dizem ter relações sentimentais com sacerdotes católicos divulgaram uma carta aberta que enviaram ao Vaticano para pedir o fim do celibato para os padres.O grupo é formado por cerca de 40 mulheres de várias cidades da Itália, que tiveram ou ainda têm um relacionamento com padres católicos. Elas se conheceram e se comunicam através da internet.Elas dividem experiências e pedem orientações. A maioria prefere manter a própria identidade sob sigilo.Recentemente, 10 mulheres deste grupo escreveram uma carta aberta ao papa, pedindo que o celibato seja eliminado ou se torne opcional.“Estamos acostumadas a viver de forma anônima os poucos momentos que os padres nos concedem e vivemos diariamente o medo e as inseguranças dos nossos homens, suprindo suas carências afetivas e sofrendo as consequências da obrigação do celibato”, diz o texto da carta, que foi enviada a 150 órgãos de imprensa italianos.A carta foi assinada apenas por três mulheres: Antonella Carisio, Maria Grazia Filipucci e Stefania Salomone. As outras preferiram permanecer no anonimato.“Todos têm medo porque estamos perto do Vaticano. As mulheres, os padres e as pessoas que sabem dos casos preferem não falar. Por causa disso é difícil que na Itália exista uma verdadeira associação, como existe na França, na Suíça ou na Espanha”, disse Stefania Salomone a BBC Brasil.Embora exista desde 2007, o grupo só ficou conhecido recentemente, devido ao escândalo dos abusos sexuais cometidos por padres católicos.O celibato foi apontado como uma das possíveis causas dos abusos e a ala progressista da Igreja Católica defende sua abolição. O papa Bento 16, no entanto, reafirmou que o celibato é obrigatório e que seu valor é “sagrado”.“Quando ouvimos mais uma vez o papa declarar que o celibato é sagrado, decidimos escrever pedindo que ele seja eliminado ou que se torne opcional”, disse Stefania, 42 anos, de Roma.Ela disse que teve um relacionamento de 5 anos com um sacerdote.Casos como o seu são comuns, segundo ela, embora não sejam divulgados.“A coisa fundamental é que não se saiba. O superior do religioso não tem interesse de impedir que o padre se encontre com uma mulher ou mesmo com um homem. O problema surge quando isto se torna público, ou quando desta relação nasce um filho. No grupo temos mulheres com filhos de padres.”TransferênciaQuando os casos são descobertos, segundo ela, os clérigos são transferidos para outras dioceses, como ocorreu com um padre brasileiro que teria se envolvido com outra mulher do grupo.Antonella Carisio, de 42 anos, divorciada, com um filho de 15 anos, diz que teve uma relação de quase dois anos com o sacerdote brasileiro.O religioso foi transferido para o Brasil, depois que o caso foi descoberto.“Tenho certeza que ele quis voltar ao Brasil para colocar um fim no nosso relacionamento, que foi muito intenso.”, declarou Antonella à BBC Brasil.“Todos na minha família o conheciam, até minha avó, e eram cordiais com ele. Chegamos a sair diversas vezes com meu filho, que eu não teria envolvido se não fosse um relacionamento sério”, afirmou Antonella.A família do sacerdote no Brasil contudo, não sabia de nada. “Seria um choque para sua mãe, familiares e amigos” , diz a italiana.“Eu estava disposta a ficar a seu lado do mesmo jeito, nunca impus que deixasse o sacerdócio. Seria difícil para ele, que entrou no seminário aos 12 anos de idade e viveu 30 anos nesta condição. Eu teria aceito ficar na sombra”.Na avaliação de Antonella, os sacerdotes não têm o apoio necessário para enfrentar os problemas ligados à sexualidade e aos sentimentos.“Nos seminários ensinam apenas a excluir os sentimentos da própria vida e a criar uma parede entre si e os outros. Como podem entender certas situações que nunca viveram?”De acordo com Stefania Salomone, dificilmente um padre envolvido com uma mulher deixa o sacerdócio.“A maior parte não abandona o sacerdócio por uma mulher. Preferem ter as duas coisas pois não suportam deixar de ser ministros sagrados para entrar na rotina de um casamento”.O grupo tem o apoio de outros movimentos católicos que defendem o fim do celibato, como a associação de padres casados e o movimento internacional “Nós somos Igreja” .Um estudo publicado pela revista Civiltà Cattolica, da Ordem dos Jesuitas, aponta que em 40 anos, de 1964 a 2004, 69 mil padres deixaram o sacerdócio no mundo. A maior parte dos pedidos de dispensa, segundo o estudo, deve-se a situações de instabilidade afetiva. Fonte: BBC Brasil