terça-feira, 13 de abril de 2010

IGREJAS EVANGÉLICAS ABRIGAM VÍTIMAS DA TRAGÉDIA NO RIO E NITERÓI

O Exército de Salvação deslocou equipe de 12 pessoas de São Paulo para o Rio de Janeiro, com o propósito de auxiliar colegas da Emergência local que estão trabalhando no apoio às famílias que foram atingidas, na semana passada, por uma das maiores tragédias vivida pela cidade maravilhosa e arredores: chuvas, inundações, enxurradas, deslizamentos de terra.De segunda para terça-feira, em menos de 24 horas foram registrados 288 milímetros de precipitações na capital fluminense, o equivalente à média mensal de abril, volume que daria para encher 300 mil piscinas olímpicas de água. A chuva que caiu durante a semana deixou um rastro de 229 mortes, dado computado até o final da tarde deste domingo. A maior tragédia aconteceu na cidade de Niterói (a 14 km do Rio), no deslizamento do Morro do Bumba, soterrando casas e matando pelo menos 39 pessoas. Segundo o Corpo de Bombeiros de Niterói, o trabalho de remoção no local deve durar mais de 15 dias, pois será preciso retirar um milhão de tonelada de lixo e entulho do local. A prefeitura estima que 200 a 300 pessoas moravam nas 50 casas que foram soterradas pela lama.Igrejas evangélicas localizadas nas áreas atingidas – cidades de São Gonçalo, Niterói e Rio de Janeiro, nos bairros Rio Comprido e morro da Divinéia – acolhem pessoas que perderam tudo na enxurrada. A Assembléia de Deus do bairro de Fonseca, em Niterói, virou abrigo das vítimas da tragédia. O mesmo se passa na congregação da Assembléia do Viçoso Jardim.A Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (Adra) solicitou aos pastores da região que, nos cultos, intercedam pelas vítimas da catástrofe. A organização começou a recolher roupas, calçados, cobertores, colchões, fogões, geladeiras para os que perderam suas casas. Integrantes da Força Jovem Brasil, organização ligada à Igreja Universal do Reino de Deus, passaram pelos pontos mais atingidos no Rio de Janeiro e levantaram as principais necessidades dos desabrigados.O cenário é de terror e abatimento no Morro do Bumba, descreveram os pastores Antônio Mesquita, da Assembléia de Deus de Fonseca, Niterói, e Ezequiel Braça, do Projeto Crescer.Papa Bento 16 doa US$ 50 mil às vítimas da chuva no RioA Arquidiocese do Rio informou nesta segunda-feira que o papa Bento 16 enviou US$ 50 mil (cerca de R$ 88,6 mil) como doação para as vítimas dos deslizamentos que ocorreram no Estado devido às chuvas da última semana. Segundo dom Orani João Tempesta, a comunicação da doação foi feita por meio de carta do cardeal Paul Josef Cordes, presidente do conselho pontifício "Cor Unum", que orienta os trabalhos de caridade da Igreja Católica.A mensagem do cardeal Cordes diz que com o gesto o papa "quer estar perto das famílias que estão sofrendo e também perto de todos que generosamente estão trabalhando na operação de emergência". Balanço divulgado ontem à tarde pelo Corpo de Bombeiros aponta que o total de pessoas mortas em decorrência das chuvas subiu para 231. Duas novas vítimas confirmadas morreram na cidade do Rio. Niterói é o município com maior número de vítimas: 146 --desses, 33 foram retirados do morro do Bumba. As outras mortes ocorreram na cidade do Rio (65), em São Gonçalo (16), em Petrópolis (1), na região de Paracambi (1), em Magé (1) e em Nilópolis (1). Prestações O prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), anunciou hoje que as famílias transferidas para as moradias do programa Minha Casa Minha Vida, do governo federal, não precisarão pagar as prestações mensais. O município vai pagar esses valores. Ontem, o governador Sérgio Cabral (PMDB) anunciou que o governo federal vai liberar R$ 5,3 bilhões do Plano de Ajuste Fiscal para o Estado. Na quinta-feira (15), Cabral deve se reunir com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e com o secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, para tratar do assunto. Bolsa Família Nesta segunda, a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Márcia Lopes, anunciou a antecipação do pagamento do Bolsa Família aos cadastrados dos municípios do Rio, Niterói e São Gonçalo. Segundo a ministra, a decisão foi tomada em razão dos estragos causados pelas chuvas. De acordo com a ministra, 158 mil famílias serão beneficiadas com a decisão no Rio. Em Niterói e em São Gonçalo serão 13 mil e 42 mil beneficiados, respectivamente. O valor deveria ser pago do dia 17 até 21 de abril, de acordo com o número de cadastro. No entanto, será pago integralmente na próxima sexta-feira (16). Áreas de risco O governo estadual espera para até a próxima quarta-feira (14) a conclusão do Plano Diretor de Remoção, que vai mapear todas as áreas de risco em todo o Estado. De acordo com os dados, ele deve assinar um decreto para a retirada à força de famílias que estejam em áreas consideradas de altíssimo risco. De acordo com a assessoria do governador, o mapeamento vai seguir quatro classificações: baixo risco (cor azul), médio risco (cor amarela), alto risco (cor vermelha), e altíssimo risco (cor preta). As pessoas que residem nas áreas consideradas de altíssimo risco sair imediatamente de suas casas. No caso de recusa, a retirada poderá ser feita pela polícia. Apesar de a determinação ser do governo estadual, a assessoria afirmou que a medida deverá ser aceita pelos municípios. A partir da adesão, as operações deverão receber subsídio do governo. Fonte: ALC e Folha Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário