sábado, 24 de abril de 2010

MAIS DE 80 MIL CATÓLICOS PODEM DEIXAR IGREJA DA ÁUSTRIA APÓS ESCÂNDALOS

Os escândalos de abuso sexual contra crianças por parte de membros do clero na Áustria poderão fazer com que até 80 mil fieis do país europeu deixem a Igreja Católica neste ano, segundo informou o jornal "Die Presse". Entre janeiro e março de 2010, mais de 30 mil pessoas se retiraram da instituição religiosa. No mesmo período de 2009, o número chegara a 21 mil austríacos. No total, a quantidade de abandonos foi de 53.216 no ano passado. A publicação citou dados das dioceses locais e calculou que o recorde de desistências incluirá perdas econômicas de até sete milhões de euros nas taxas pagas pelos fieis -- entre 0,1% e 1,1% dos rendimentos tributáveis. Os prejuízos podem chegar a 350 milhões de euros anuais. Com uma população de 8,4 milhões de pessoas, estima-se que 70% dos austríacos sejam católicos, o que corresponde a pouco menos de seis milhões de habitantes. Nas últimas semanas, o arcebispo de Viena, cardeal Christoph Schönborn, considerado bastante próximo ao papa Bento 16, condenou os casos de pedofilia surgidos na igreja do país e prometeu ir a fundo nas investigações. Entre outras medidas, ele denominou uma comissão independente, presidida por uma mulher, encarregada de esclarecer as denúncias e prestar assistência às vítimas. Além de Áustria, recentes suspeitas de crimes de abuso sexual contra menores cometidos por padres e freiras católicos estão vindo à tona em países como Alemanha, Brasil, Estados Unidos, México, Irlanda e Itália, entre outros. Fonte: Folha Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário