sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Assembleia de Deus quer proibir propaganda eleitoral que exibe beijo gay

Relator do conselho político da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil, pastor Lelis Washington Marinhos, está defendendo que os partidos adversários e até mesmo o Ministério Público entrem com uma ação no Tribunal Regional Eleitoral pedindo a retirada da cena do ar.

Pastor Lelis Washington afirma que para o bem da família, esse tipo de cena deveria ser proibida na televisão, ainda mais em horário eleitoral, que é acessível e estimulado. “O que eles fizeram é uma provocação à sociedade brasileira. É uma situação deplorável, a grande maioria condenaria um ato desse, que antes era considerado atentado ao pudor pela lei”.

O PSOL (Partido Socialismo e Liberdade), que exibiu um beijo gay entre dois jovens, afirma que não teve a intenção de causar polêmica ou escandalizar as famílias brasileiras com o filme.

Arquiteto e diretor de peças publicitárias do PSOL desde 2008, Pedro Ekman diz que se surpreendeu com o tamanho da polêmica causada pelo filme, mesmo avaliando que a peça geraria reações. “Qualquer um que anda pelas ruas da cidade ou vê telejornal já se deparou com dois homens de mãos dadas ou trocando um beijo”, afirma o diretor.

Um comentário:

  1. Nobre pastor. Se a coisa continuar nesse ruma que anda em breve nós evangélicos iremos dividir os presídios com os presos. A moral foi invertida, ao invés de virtude torna-se vergonha. ser imoral tem apoio. muitas pessoas sentem-se intimidada e temem opinar contra a imoralidade e em breve até portas de emprego serão fechadas para os que pensam diferente do mundo liberal e pervertido.

    ResponderExcluir