quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Mãe de falecido prisioneiro cubano impedida de frequentar a igreja

A rede solidária cristã (CSW), baseada no grupo inglês de direitos humanos, está pedindo ao governo cubano que conceda a Reina Luis Tamayo Danger, mãe de Orlando Zapata Tamyo, morto na prisão cubana no começo deste ano, que possa frequentar serviços religiosos e que cesse a perseguição a ela e sua família.

A porta-voz da CSW relatou que desde o começo de agosto, em domingos consecutivos, agentes da segurança do estado cubano e outros membros pró-governo da comunidade da cidade de Banes [Holguín, província cubana] bloquearam o caminho de Reina Luisa Tamayo Danger para ir a igreja, impedindo-a de ir aos cultos de domingo e de visitar o cemitério onde está o filho.

"As imagens de vídeos enviados de Cuba mostram uma fila de homens uniformizados com braços entrelaçados numa estrada de terra, encarando face a face um pequeno grupo de mulheres incluindo Reina Luisa Tamayo Danger,” diz a porta-voz. “As mulheres são parte de um grande movimento em toda a ilha conhecidas como ‘mulheres de branco’, composta por esposas e mães de prisioneiros de consciência. Uma multidão de pessoas gritava slogans a favor do governo e mensagens obscenas às mulheres em frente a eles, incapazes de passar.”

De acordo com a mãe, por mais de cinco meses ela e sua família tem sido alvos de atos de intimidação de funcionários públicos, incluindo abuso verbal e ameaças de violência. Seu comparecimento semanal a Missa no La caridad igreja católica tem sido particularmente visados. Ela diz, porém, que a violência e a intimidação não é mais confinada somente aos domingos.

Reina Luisa Tamayo Danger pediu a mídia internacional que venha a Barnes e cobrir a situação. CSW está convidando representantes de embaixadas européias em Cuba a irem a Banes investigar as ameaças e “serem solidários com ela.”

O diretor nacional da CSW, Stuart Windsor diz: “Ninguém deve ser submetido a essas táticas de intimidação, simplesmente porque eles estão tentando atender a um serviço religioso semanal, um direito aos cristãos cubanos. Estamos pedindo ao governo cubano para cessar a perseguição da Sra. Reina Luisa Tamayo Danger imediatamente e permiti-lhe frequentar assistir à missa e visitar o túmulo de seu filho, sem impedimentos.”
fonte:ANS

Nenhum comentário:

Postar um comentário