terça-feira, 16 de março de 2010

VATICANO JÁ INVESTIGOU 3 MIL DENÚNCIAS DE PEDOFILIA

O monsenhor Charles J. Scicluna, do Ministério Público do Tribunal da Congregação da Fé, revelou, numa entrevista para um jornal italiano, no sábado (13), que três mil denúncias de pedofilia contra padres foram examinadas pela Justiça do Vaticano nos últimos dez anos (2001-2010). Essas acusações se referem a fatos cometidos nos últimos 50 anos.
Segundo Scicluna, cerca de 60% dos casos são atos de “efebofilia”, ou seja, atração física por adolescentes do mesmo sexo. Em 30% foram relações heterossexuais e os 10% restantes de verdadeira pedofilia.
Entrevista polêmica: irmão do papa era violento
Também no sábado (13), a revista Spiegel publicou uma entrevista com um ex-aluno de um coral da Alemanha, Thomas Mayer, revelando que o irmão do papa Bento XVI jogava cadeiras contra estudantes. O ex-membro do famoso coral de meninos de Ratisbona (sul do país), dirigido entre 1964 e 1994 pelo irmão pontífice, monsenhor Georg Ratzinger, relatou as violências que este era capaz de infligir.
Mayer contou que a fúria dele era tão grande, que a dentadura do então padre Ratzinger chegou a cair da boca. A arquidiocese de Ratisbona reconheceu dois casos de abusos sexuais contra menores no coral, ambos anteriores ao período do monsenho Ratzinger como diretor.
Imprensa quer explicações
A imprensa da Alemanha está cobrando explicações do Papa Bento XVI (o alemão Joseph Alois Ratzinger) sobre os recentes casos de pedofilia no país. Cerca de 19 das 27 dioceses alemãs estão envolvidas em escândalos de abusos sexuais, que começaram a serem denunciados no fim de janeiro. (DT)
Agência Unipress Internacional

Nenhum comentário:

Postar um comentário